Tratamento do Cálculo renal

Os cálculos formados nos rins, em sua maioria, acabam sendo expelidos pelo trato urinário, os cálculos menores que 5mm tem chance de mais de 70% de serem eliminados sem necessidade de procedimentos ou tratamentos. Desta maneira, cálculos renais menores que 5mm não necessitam tratamento específico.

Para cálculos renais entre 6mm e 15mm o tratamento de escolha é a nefrolitotripsia extracorpórea por ondas de choque (LECO), que consiste na aplicação de ondas de choque emitidas por equipamento específico que concentra as ondas de choque sobre a pedra. A localização pode ser feita com auxílio do raio-x ou ultrassom. Este procedimento tem uma eficácia de cerca de 70% e o sucesso depende da consistência e localização do cálculo. (link para vídeo http://youtu.be/F5FTre9qOiY)

Cálculos renais maiores que 15mm necessitam de cirurgia para sua resolução. A melhor cirurgia para cálculos renais é feita através de pequena incisão de 1cm na região lombar com introdução pequenos tubos até o interior do rim onde estão os cálculos. Um equipamento com câmera na extremidade é introduzido e os cálculos, sob visão direta, com auxílio de equipamento ultrassônico são fragmentados e aspirados. A  cirurgia descrita chama-se Nefrolitotripsia percutânea. (nefro=rim, lito=pedra, trispsia=quebrar)

Alguns cálculos podem crescer muito e atingir dimensões maiores que 5 ou 6 cm ocupando todo o interior do rim, estando associado a infecção crônica. Estes cálculos são silenciosos, causando poucos sintomas, porém levando a perda da função renal a longo prazo. Muitas vezes o tratamento destes cálculos necessitam de inúmeras cirurgias (nefrolitotripsia percutânea) ou mesmo cirurgias convencionais com abertura do rim.

Outra cirurgia que surgiu recentemente para tratamento de cálculos renais é feita através da via urinária, sem nenhuma incisão. O equipamento fino e flexível e introduzido através da uretra, passando pela bexiga, ureter e chegando até o rim, onde os cálculos são fragmentados com auxílio do laser (ureterorrenolitotripsia flexível)

Já os cálculos que já saíram do rim e estão no ureter a caminho de ser eliminados podem causar dor e muitas vezes pararem no meio do caminho e não serem eliminados. Estes cálculos precisam muitas vezes de tratamento cirúrgico e são perigosos, podendo levar a diminuição da função do rim de forma temporária ou mesmo de forma definitiva se não for tratado. A cirurgia é feita também através das via urinária com equipamento que tem uma câmera na extremidade e o cálculo é quebrado com o auxílio do laser sendo que os fragmentos são retirados com auxílio de uma pequena cesta (ureterolitotrispia, veja o vídeo http://youtu.be/dhLuFU0QHhM).

As pessoas que eliminam os cálculos ou que fazem tratamentos para a eliminação dos mesmos podem apresentar recidiva e formação de novos cálculos se mantiverem os mesmos fatores de risco. Desta maneira é muito importante que os pacientes que têm o diagnóstico de cálculo renal precisam alterar alguns hábitos de vida pra evitar a formação de novos cálculos.  As mudanças são simples como aumentar a ingestão de líquidos, evitar excesso de sal de cozinha e de alguns alimentos. Se apesar destas medidas o paciente apresentar a formação de novos cálculos é necessária a investigação metabólica da origem do cálculo e por vezes o uso de medicamentos para evitá-los.

Salientamos que as indicações de tratamento expostas acima devem ser individualizadas levando em conta diversos fatores e as características de cada paciente, podendo muitas vezes ser diferentes do descrito acima. É importante que o tratamento dos cálculos seja acompanhado por profissional habilitado para tal como urologista ou nefrologistas.

 

 

Referências: