Fimose

A pele que recobre a cabeça (glande) do pênis chama-se prepúcio, ele é elástica e durante a ereção ou quando de puxa a pele para trás a glande é exposta. Fimose é quando ocorre a dificuldade ou até impossibilidade de expor a glande, devido a um estreitamento da prepúcio, formando um anel. Este estreitamento do prepúcio pode ocorrer de forma congênita (desde o nascimento) ou ser adquirida ao longo da vida após inflamações repetidas do prepúcio. Cerca de 8% das crianças podem apresentar fimose. Nos primeiros meses de vida, existe uma aderência natural do prepúcio à glande. Porém, até os três anos, essa aderência desaparece na grande maioria dos meninos.

As infecções e inflamações do prepúcio chamam-se balanopostite e podem ocorrer em qualquer idade. São mais comuns em pacientes diabéticos e quando a higiene do pênis não é feita de forma adequada. A principal causa destas infecções é o crescimento de um fungo chamado candida albicans. Ocorrendo vermelhidão com coceira no prepúcio, formação de secreção branca, pequenas fissuras na pele do pênis e também mau cheiro.

Entre os Judeus e alguns Muçulmanos a retirada do prepúcio é feita nos primeiros meses de vida. Como resultado estas crianças tem uma chance menor de ter câncer peniano e suas parceiras menor chance de câncer de colo uterino. Desta maneira acreditamos que a cirurgia realizada na infância traz melhores condições de higiene durante a vida reduzindo então os riscos do câncer peniano (que tem como principal fator de risco a higiene precária). Reduz também as infecções por HPV e a incidência de outras doenças venéreas. Diante destas informações tem se tornado cada vez maior a realização da postectomia (cirurgia para retirar o excesso de prepúcio) em crianças.

A postectomia, também chamada de circuncisão é uma cirurgia de pequeno porte, não necessita de internação e tem rápida recuperação. Nesta cirurgia é realizada a retirada do excesso de prepúcio onde está presente o estreitamento da pele. Pode ser feita em qualquer idade, desde bebes, até adultos ou idosos. E fazer o procedimento quando adulto ou idoso não traz nenhum problema ou risco maior ao paciente. Tanto em adultos como em crianças é sempre indicado o avaliação de um médico urologista ou cirurgião pediátrico, existem casos onde o tratamento conservador, sem cirurgia, pode resolver a fimose. O acompanhamento com médico especializado pode também trazer orientações para que os adultos não desenvolvam a fimose.

 

Figura 1. Cirurgia para retirada do prepúcio (postectomia) que impedia a exposição da glande

A principal recomendação para se evitar a formação da fimose é o cuidado com a higiene. A limpeza freqüente da região da glande coberta pelo prepúcio, deixando a região bem seca é a melhor maneira de evitar infecções e inflamações repetidas que levam a formação de fibrose e estreitamento do prepúcio. Muitas vezes a consulta com profissional urologista é necessária para o tratamento destas infecções recorrentes através do uso de pomadas ou comprimidos.

 

 

 

Referências:

-       Text Atlas of Penile Surgery - Daniel Yachia - 2007

  • Campbell-Walsh Urology, 10th Edition By Alan J. Wein, MD, PhD(hon), Louis R. Kavoussi, MD, Andrew C. Novick, MD, Alan W. Partin, MD, PhD and Craig A. Peters, MD, FACS, FAAP