Câncer de Próstata

O que você precisa saber sobre o câncer de próstata?

 

Dados do Instituto Nacional de Câncer (INCA) mostram que, no Brasil, o câncer de próstata é o segundo tipo mais comum entre os homens (perde apenas para o câncer de pele não melanoma). As estimativas do INCA, para 2014/2015, são de cerca de 68.800 novos casos de câncer de próstata no país. Em 2011, 13.129 mil brasileiros morreram em decorrência da doença. 

 

Em valores absolutos, é o sexto tipo mais comum no mundo e o mais prevalente em homens, representando cerca de 10% do total de cânceres. O câncer de próstata é a segunda principal causa de morte por câncer em homens, seguido apenas pelo câncer de pulmão. Cerca de 1 homem em 36 morrerá de câncer de próstata.

 

Mas o que é a próstata?

 

É uma glândula que faz parte do sistema reprodutor masculino, localizada logo abaixo da bexiga ao redor da uretra. Sua principal função é produzir parte do líquido seminal. Tem por volta de 20 a 30g. Além do câncer pode apresentar outras doenças benignas como infecção (prostatite) e hiperplasia, que nada mais é que seu crescimento ao longo dos anos. E este crescimento pode ou não causar problemas.

 

O câncer de próstata apresenta sintomas?

 

Não! Principalmente no início. Por isso é muito importante que se faça os exames de rotina, periodicamente para se detectar precocemente a doença. Quando avançado pode apresentar alguns sintomas como alterações da micção.

 

Quais o tratamentos?

 

O tratamento depende essencialmente do estadiamento, de quando foi identificada a doença. Nos estágios iniciais tem chance até 90 de cura. Estes tratamentos vão desde a cirurgia e uso de diversos tipos de radioterapia nos casos iniciais, combinação do uso de hormônios e radioterapia em casos intermediários e nos casos avançados uso de hormônios e quimioterápicos para o tratamento de metástases. Em casos específicos, onde o tumor é pequeno e pouco agresssivo, também pode-se optar uma vigilância ativa.

 

Quem opera fica impotente?

 

A cirurgia ou mesmo a radioterapia pode trazer duas complicações, a diminuição da função erétil e problemas de incontinência urinária. Com a evolução da técnica cirúrgica estes problemas são bem menores hoje. Mas lembre-se mesmo que deixem uma seqüelas estes tratamentos vão curá-lo de um câncer.

 

Que exames detectam o câncer?  

 

A escolha do melhor exame vai ser decisão do seu urologista e depende de muitas variáveis como idade, antecedentes familiares, etc. Mas pelas recomendações atuais da SBU (Sociedade Brasileira de Urologia) homens com parentes que apresentaram câncer de próstata devem procurar o urologista após os 45 anos e aqueles sem antecedentes na família após os 50 anos. Os exames iniciais podem ser o PSA (prostatic Specific Antigen) colhido no sangue e/ou o Exame digital retal (toque de próstata). Se algum destes exames mostrar alteração sugestiva de um câncer na próstata uma biópsia deverá ser realizada para confirmar o diagnóstico.

 

Então o que devo fazer?

 

Se possui algum parente próximo que teve câncer de próstata e você já passou dos 45 anos procure seu urologista. Para os demais homens a recomendação é após os 50 anos. O Urologista vai orientar qual o melhor exame.